quinta-feira, 5 de maio de 2011

Dias Iguais

O que eu quero? pergunta estranha pra se fazer... mas pensando bem há tantas respostas ....



Quero arrebatação. Não tô falando do amor, e sim dos dias. Tô querendo ser surpreendida, empurrada, puxada por alguma coisa que eu não saiba de antemão, quero conhecer, quero ver um sentido pra isso tudo, pertencer a algo maior do que essa grande ilusão diária.
 Quero profundidade, quero risada de verdade e não de desespero. Não é questão de querer mudança, é questão de só ter apatia e desejar mais, muito mais. Tô precisando sentir. Sentir arrepios de concordância, de deleite, de alegria em pertencer. Isso tudo me paralisa, eu sou tão mais, tão mais do q eu queria ser. O mundo é pra jogar na nossa cara as verdades, mas o que ele manda é o que a gente planta: ilusão, das ruins. Erro, dos piores. Apatia. Preguiça. Involução. Comodismo. Ignorância.

Fico presa aqui comigo, nas surpresas e delícias que o meu mundinho pode ter, desejando que isso fosse maior, muito maior e sem fronteiras.




Nenhum comentário:

Postar um comentário