sábado, 22 de junho de 2013

26 anos!

Ok ! Todo mundo sabe que odeio meu aniversário. Mas sabe o que é realmente incrível nisso tudo? Poder comparar uma vida tão breve com tantas possibilidades. Afinal, foram 26 anos pouco vividos, tão pequenos perto dos cabelos brancos do meu pai, das ironias da minha mãe. Me parece que não sei de nada, mas meus olhos são mais espertos do que eram ontem, e cada vez que descubro alguém, absorvo algo novo, e lá se vão minhas teorias. Não sei viver completamente, e é a única coisa que eu supostamente devia fazer, porém, se fosse pra saber de alguma coisa não teria nascido assim, tão ser humano. Eu me acho uma sortuda de poder encontrar diversas formas de ser pelo meu caminho, não consigo me definir, não acho ruim se há quem consiga, mas falando sério, tem que ter um ego muito grande pra afirmar com a maior certeza o que se é, inalteravelmente. "Sou assim e ponto final."  Um pouco triste perder essa coisa que a vida dá, de poder transformar ideias em diferentes modelos de interpretação e execução, já gostei de tanta gente, de tantas coisas, que se fosse me pedir pra escolher a melhor, eu provavelmente iria te dar uma resposta diferente em cada dia da semana. É, meu caro, tô no 'jeito inesperado do ser'. Sendo menos a lagarta, e muito mais as borboleta...

... por enquanto, né?


Nenhum comentário:

Postar um comentário