segunda-feira, 24 de junho de 2013

Quando penso em tudo que já fiz, em todas as companhias que tive ao meu redor, em todos os sorrisos que dei de bandeja, em todas as gargalhadas que me escaparam, eu me emociono. Me emociono  verdadeiramente com essa minha coleção de tempo. Coisas que não voltam, e são marcas dos meus anos, dos meus dias gastos sofrendo, reclamando, aproveitando. Na verdade, me considero uma 'aproveitadora da vida', eu sempre mergulho nas condições que surgem ,sem dó, nem piedade. Porque se é pra rir que seja muito alto, se é pra chorar que seja constrangedor, se é pra amar que seja intenso, se é pra esquecer que seja prioritário. E se é pra viver, com todas essas extraordinárias condições, que seja intenso. Muito intenso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário