quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Sabe qual é o cúmulo da maluquice humana? É se sentir culpado por estar triste. É achar que chorar é coisa de gente fraca. É fingir que está tudo bem quando se está desabando por dentro. É usar máscaras e mais máscaras para negar a si mesmo. Para não se permitir. A vida  inteira me deparei com pessoas assim e só senti pena delas.
Por isso prefiro ser uma inconstância. Ser o frio, o calor, o nublado, o desfolhado, o sol, o vento e a chuva. Claro, escuro e crepúsculo. Dor e alegria. Prefiro me autorizar à inteireza. Ora resplandecente, ora murcha. Ora gargalhada, ora lágrima. Ora silêncio, ora voz. Ser tudo,ser nada. E somente por agora, porque depois já não sei.


Nenhum comentário:

Postar um comentário