segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Minha Criptonita

Hoje somos o que , amigos? Rs e amanhã? Talvez piores inimigos, quem sabe. Ficamos sem nos falar por meses, mantendo certa distância até não poder mais. Até eu procurar por notícias suas. Porque independente da relação amor-e-ódio que vivemos, eu me preocupo, sempre me preocupei. Saber que você está bem e feliz me conforta como se isso fosse sobre a minha própria vida, sobre a minha felicidade.Não sei o que assusta mais: a chance de dar errado ou a grande possibilidade de dar certo. E eu vou me agarrar com todas as forças a nossa reaproximação? Não sei se eu deveria. Agora tem muita coisa em jogo e você não tem coragem de jogar. 
Porque te assusta demais a ideia de ser feliz comigo, já que conseguimos ser tão infelizes, depois de tanta felicidade, no passado. Então você deixou claro como isso nunca daria certo e eu sinto um ódio mortal de você por não lutar por mim, por me deixar ir embora e por me dar a chance de conhecer pessoas novas, ou retornar a velha. Não te assusta pensar que eu posso ser feliz com outra pessoa? Porque, acredite, eu posso. O problema é querer. Porque por mais que minhas escolhas sejam precisas, o destino se encaminha de me jogar nos seus braços. E como na maior parte das vezes é o que eu quero, penso que é algo dos céus. Algo predestinado, como se eu, de fato, acreditasse em destino. 
O nosso presente é o resultado das nossas escolhas no passado e o nosso futuro é o que plantamos hoje, eu sei disso. Mas quando se trata de você, um mínimo detalhe vira uma grande história na minha mania de fantasiar demais. E no auge do seu ódio vc vai sair, curtir, e se entupir de pessoas vazias para se esquecer de mim. Vai provar, mais uma vez, o que eu perdi. E eu por minha vez vou aumentar o volume da música para esquecer sua voz e ouvir aqueles gêneros que você nem imagina que eu goste.Vou me enganar tentando me fazer acreditar em tudo isso. E no final da noite vamos estar em casa, deitar a cabeça no travesseiro e vamos lamentar por você e por mim, vamos nos amar novamente em pensamento e logo em seguida concordar com a minha ideia de que isso nunca funcionaria. Até que tudo aconteça de novo, exatamente na mesma ordem, como sempre acontece. 
Minha fantasiosa relação de quase amor está desgastada e todas as vezes eu prometo que será a última. E todas as vezes são para sempre e sempre duram apenas algumas horas, dias ou semanas e recomeçam. Recomeçam porque a minha felicidade procura por notícias da sua, quer saber se sua felicidade é completa e como estão as novidades. Ou então recomeçam porque a falta que você sente de mim não te deixa dormir e seu colchão não tem estrutura suficiente para o peso na sua consciência pelas palavras ditas sem pensar. Já sabemos, recomeça. Não sei se é pela saudade, pelo amor ou puro masoquismo. Um círculo vicioso que nunca acaba, mas sempre termina.











Nenhum comentário:

Postar um comentário