segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Do you Belive?

Agora a manhã pálida mostra as coisas esquecidas. Eu toco uma música para aquele que desejo esquecer. O fato de ambos terem estado cegamente enganados, por aqueles que pregam, rezam e ensinam. Mas ele está aquém e a noite explode em risos.
Não venha aqui e diga que eu não o avisei, sobre a maneira como o seu mundo pode se alterar. E como você tenta controlar tudo e mesmo assim, todas as vezes tudo vai em uma direção diferente. Eu sou uma maldita covarde, mas você também é. Me fez fugir e gritar por você e no final eu nunca soube o que realmente deveria fazer. 
Bem, às vezes eu desejo que você tivesse sido um pouco mais previsível. Que eu pudesse lê-lo, tal como um livro. Por agora só posso adivinhar o que virá a seguir e examinar o seu tímido sussurro e a maneira como o velho vento sopra à minha volta.






Nenhum comentário:

Postar um comentário