quinta-feira, 24 de abril de 2014

A rotina jamais me fará satisfeita porque eu tenho uma claustrofobia absurda de lugares e tempos. Estalo os dedos, batuco nos móveis, balanço freneticamente os pés. Preciso de ar. Falo o tempo todo porque o silêncio aumenta minha ansiedade, quero saber de tudo e conhecer todos os assuntos. Vou roer as unhas de esmalte vermelho e pintar meus dentes de nervoso, vou quebrar as janelas para respirar novos ares. Quero gritar mais alto que a música e destruir minha limitações. 


"...Só vejo beleza no que transborda e só me interesso pelo que ultrapassa. O comum não me comove, o banal não me toca. Porque eu gosto é do avesso e o contraditório é que me fortalece."

Nenhum comentário:

Postar um comentário