terça-feira, 28 de abril de 2015

Carta para mim.

Eu não quero que você esqueça as flores do seu caminho e nem daqueles sonhos que surgiram no fundo do seu peito. Que você não tenha medo do destino, mas mantenha a cautela nas suas escolhas. Você não deve esquecer as suas verdades, mas principalmente você deve lembrar os seus questionamentos. Que você jamais esqueça o que faz seu coração vibrar e que faça, cada vez mais, aquelas coisas que fazem você sorrir de imediato. Que a sua frequência esteja em sintonia com aquele amontoado de coisas boas da vida e que a sua paz continue sendo encontrada dentro de você. Eu não quero que você esqueça que assim como seu corpo, sua alma também precisa de cuidados, carinho e alimentação.

Eu não quero que você esqueça que o sol nasce todos os dias pra gente poder mudar o que incomoda e acomodar com o que faz bem. Eu não quero que você esqueça de parar a sua correria pra prestar um pouquinho a atenção naquele fim de tarde e que isso ajude a seguir em frente. Que você siga em frente mesmo que não tenha pôr do sol. Eu não quero que você esqueça de ter um tempinho pra si, de ter um tempinho pra aquele velho amigo, de ter um tempinho pra conhecer gente nova e de bom astral.

Eu não quero que você esqueça de se perguntar se você esta aonde queria estar ou, ao menos, na direção certa. Que não se esqueça que cada um tem a sua concepção de certo e se te faz feliz, não pode ser errado. Eu não quero que você esqueça que o mundo vai te julgar, mas a sua consciência será sempre o seu maior guia. Não se esqueça que o que você é ninguém pode ser. Não se esqueça de ser a exceção quando achar que deve, de seguir o fluxo quando achar que deve, de tomar um bom vinho quando achar que deve, de dormir as 10 em uma sexta quando achar que deve, de virar a noite fazendo amor com alguém por quem você sinta amor quando achar que deve.

Eu não quero que você esqueça daquela canção que te arrepia e, de coração, que a sua alma não se petrifique com a ação do tempo, permitindo que o arrepio aconteça por tantas outras canções e todas sensações que a vida te permitir. Que você filtre aquela velha mágoa, que quebre as regras de vez em quando, que se iluda com alguém por aí e ria, ria muito e descompensadamente dos tombos que não te arranharam. Os que deixaram cicatrizes, que você guarde numa caixinha junto com o que chamamos de experiência.

Eu não quero que você se esqueça das trilhas que não deu tempo de trilhar e que recupere o tempo perdido com um pouco de pressa. Que a correria do dia a dia não te tire a tranquilidade e que sempre dê tempo de admirar algo bonito. Que você se surpreenda com você mesma, pra descobrir que dá ainda pra se surpreender de forma positiva e bela com o que os outros podem nos proporcionar. Que os bons momentos virem rotina, com mil pessoas, uma só, mas principalmente sozinha, pra você perceber o quanto seu amor próprio também te move.

Eu não quero que você se esqueça de ser grata todos os dias, que contabilize alegrias e que esqueça da ruindade do mundo na hora de dormir. Eu não quero que você esqueça que somos um todo e que fazer o bem a alguém é fazer bem pra você. Que você não esqueça que atrai aquilo que transmite. Que você estoure aquela espumante pra comemorar a beleza que é estar viva. E daí que é segunda-feira? Eu não quero que você esqueça de se sentir viva, que tenha astral bonito, tranquilidade nos lábios e alegria no olhar. Eu não quero, de jeito nenhum, que você se esqueça de ser feliz e de ser você. De ser feliz sendo você e só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário