domingo, 7 de fevereiro de 2016

Que vontade é essa de pular desse lugar que eu nem sei até onde vai? Que vontade é essa de jogar tudo pro alto e me mudar pro seu abraço? Quero mergulhar na imensidão desse infinito que é o amor. Eu sempre odiei arriscar e sempre tive medo de perder o controle da situação. Preferi a frieza de um coração partido ao calor de uma paixão. Preferi manter o silêncio a matar meu orgulho. Você sempre soube disso, eu nunca escondi. Demoli tantos sonhos que foram construídos no decorrer da minha vida, que sobraram apenas destroços e nenhuma vontade de sair do lugar em que parei. Cansei da busca, da conquista, do charme inicial e das paixões passageiras que sempre tentavam dirigir minha vida.
Apenas um sms e tudo muda. Me fez lembrar muito de você e do seu cheiro. E a confusão voltou. Em resposta, eu me tornei tão clichê e tão inocente e doce e débil, dizem que o amor faz isso com as pessoas, será? Eu não sei, nem entendo. Em menos de trinta minutos todos os sentimentos retornaram, e eu estive fora por tanto tempo que não sei como agir. Às vezes eu não sei o que dizer, por mais que sinta. Às vezes eu não sei como me comportar, por mais que saiba o que é o melhor a se fazer. Eu não sigo roteiros porque me divirto quebrando minhas próprias regras. E também não sigo meu coração mais, não dá. Ele já me colocou em tantas roubadas que resolvi seguir apenas minha razão, que diferente dele, já me salvou de muitas. E eu sei que você não merece minha indiferença, nem meus medos, muito menos minhas neuras. Ou talvez mereça o tudo que eu tenho a oferecer. Eu sei que você vale a pena, e sei que é com você que eu quero estar no momento. Eu não posso te prometer o para sempre, nem posso dizer que vai ser fácil. Eu sou complicada, admito. Mas, por favor, abra mão das princesas. Eu não quero conto de fadas, não quero sapatinho de cristal, nem nada parecido. Se for pra eu perder, que seja a cabeça. E se for pra você me procurar, que seja através da realidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário